Um dos assuntos mais discutidos em todo o mundo é a preservação ambiental, questão extremamente importante para a vida na Terra. Além disso, a conservação da natureza realizada por diferentes países garante uma melhor qualidade de vida para humanos e animais. Como é o caso dos trabalhos realizados pelo Projeto Tamar!  

Entre os principais trabalhos realizados pela instituição está a conservação de diversas espécies de tartarugas-marinhas. Com sedes espalhadas por todo o país, o Projeto Tamar na Bahia, localizado na Praia do Forte, complementa as atrações da Costa do Sauípe! 

Afinal, o que é o Projeto Tamar? 

Se você já se perguntou: o que é o Projeto Tamar? Nós explicamos! Ele surgiu a partir da luta pela preservação ambiental, em 1980, e seu principal objetivo é salvar tartarugas-marinhas ameaçadas de extinção. 

Durante essa década, a proteção do ecossistema marinho não era debatida e ficava cada vez mais escassa. Foi então que estudantes da Faculdade de Oceanografia da FURG (Universidade Federal do Rio Grande) decidiram começar a agir.  

As ações do grupo começaram logo após algumas expedições realizadas em parceria com o Museu Oceanográfico de Rio Grande. Durante o trabalho, eles notaram que os projetos de ambientalistas eram essenciais. Isso porque os próprios pescadores tiravam a vida de tartarugas-marinhas, enquanto diferentes espécies subiam à praia para desovar, principalmente durante a madrugada. 

Então, para salvar esses animais, os trabalhos realizados podem ser considerados o início de ação do projeto, ou seja, quando foi criado o Projeto Tamar.   

Monitoramentos e trabalhos do projeto

Para conseguir alcançar o maior número possível de animais, ambientalistas do projeto realizam monitoramentos em quase toda a costa litorânea do país. 
No entanto, o período da desova acontece em momentos diferentes, de acordo com a região e com as temperaturas. 

De modo geral, o período da desova coincide com os meses de clima mais quente. Próximo à Costa do Sauípe, por exemplo, o projeto monitora cerca de 22 km de extensão litorânea. Entre as áreas abrangidas, estão as praias de Massarandupió, Subaúma e Porte de Sauípe. 

Nessas regiões, a desova acontece entre os meses de setembro e março. Para que o processo seja tranquilo e o mais favorecido possível, a reprodução das tartarugas é assistida por tartarugueiros e pesquisadores. 

Assim, eles podem marcar o território e impedir que turistas e moradores locais atrapalhem a reprodução das espécies.

Espécies salvas

Agora que você já sabe quais iniciativas envolvem o Projeto Tamar, deve conhecer algumas das espécies de tartarugas que esses trabalhos ajudam a salvar. São elas: 

  • Cabeçuda (Caretta caretta); 
  • Oliva (Lepidochelys olivacea);
  • Pente (Eretmochelys imbricata),
  • Verde (Chelonia mydas).
Uma curiosidade motivadora: na temporada de 2012/2013, a região de Sauípe registrou cerca de 689 ninhos que geraram mais de 44 mil filhotes. Todos eles das espécies citadas acima. 

Como preservar a desova de tartarugas? 

São inúmeras as atividades realizadas pelo Projeto Tamar. Entre elas, as que envolvem sensibilização e educação ambiental são as mais eficazes. Isso porque os trabalhos fazem com que os turistas possam refletir suas ações para salvar o meio ambiente. 



Com o Projeto Tamar na Praia do Forte, por exemplo, os hóspedes do complexo da Costa do Sauípe recebem aulas de como ajudar na conservação das tartarugas. Com as atividades, os guias destacam, por exemplo, a importância de diminuir o trânsito de veículos nas praias. 

Principalmente em casos de banhistas que adoram passear de quadriciclos pela orla. Além disso, outras atividades do programa alertam sobre alternativas sustentáveis para pescadores e moradores locais. 

Conheça a Costa do Sauípe com o Projeto Tamar!  

Após saber qual é o objetivo do Projeto Tamar, os turistas que escolhem embarcar para o litoral norte da Bahia têm a chance de vivenciar ações do instituto. Isso porque, desde os anos 2000, o complexo da Costa do Sauípe e o projeto são parceiros. 

Tudo para ensinar aos viajantes a importância da conservação do meio ambiente e da preservação de tartarugas-marinhas. Assim, além de aproveitar as mordomias all-inclusive das hospedagens à beira-mar, também é possível realizar trabalhos com o Projeto Tamar na Praia do Forte.  

Além de conhecer os trabalhos e aprender a importância de ações sociais, os hóspedes — e também aqueles que estivem presentes no local — participam da soltura de filhotes. 

Para completar, próximo ao espaço onde o Projeto Tamar é realizado, os turistas encontram uma loja com produtos da instituição. O melhor é que ao adquirir as peças, você estará ajudando as pesquisas e a conservação das espécies de tartarugas-marinhas. Afinal, 100% da verba é revertida para trabalhos do projeto. 

Faça já sua reserva no litoral norte da Bahia! 

Que tal participar das ações do Projeto Tamar e, ainda, ajudar na conservação de diferentes espécies de tartarugas-marinhas? Para isso, basta aproveitar os pacotes promocionais da Costa do Sauípe e garantir sua reserva agora mesmo. Confira!